Blog

CLASSIC LIST

201904_CS_conteudo_ginecologia_v02-1200x900.png
25/abr/2019

Quando foi a última vez que você foi ao ginecologista? De acordo com uma pesquisa encomendada pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, quatro milhões de mulheres nunca passaram por uma consulta de rotina com o profissional. Se sua resposta condisser com o número, é preciso mudar. Em Santa Maria, por exemplo, você pode realizar a consulta em ginecologia no Centro Clínico Saúde Agora.

Como resultado dessa mudança de hábito, diversas doenças ginecológicas podem ser evitadas ou tratadas precocemente. Um dos exames que auxiliam no diagnóstico precoce de patologias que acometem a saúde da mulher é a ultrassonografia. A Síndrome do Ovário Policísticos (SOP), por exemplo, é um problema comum e, na maioria das vezes, não apresenta sintomas graves.

Isso pode fazer com que a mulher se considere saudável e não ache necessário manter em dia os exames e consultas ginecológicas. No entanto, apesar de não serem preocupantes, a SOP pode provocar incômodos como cólica, alteração menstrual, fadiga e inchaço abdominal.

Diagnóstico de tumores ginecológicos

Nesses casos, a ultrassonografia é útil para identificar o motivo dos sintomas. Existem cinco tipos de cistos ovarianos: folicular, corpo lúteo, hemorrágico, endometrioide e patológico. O exame de imagem ainda consegue diferenciar um cisto cheio de líquido de um tumor do ovário.

O primeiro é formado por líquido de aspecto homogêneo. Por outro lado, o tumor é uma massa anormal de tecido, geralmente sólida. Embora as causas do tumor ovariano sejam desconhecidas, podem estar relacionadas à hereditariedade e problemas hormonais. Assim, qualquer cisto merece atenção e acompanhamento ginecológico.

Problemas ginecológicos por desconhecimento

Ainda segundo a Federação das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, 20% das mulheres com 16 anos ou mais correm o risco de ter algum problema ginecológico por desconhecimento, descaso ou descuido com a prevenção. Por isso, é necessário cumprir visitas rotineiras ao ginecologista para não se tornar vulnerável às enfermidades.

Diversas especialidades médicas em Santa Maria

Além de ginecologia, o Centro Clínico Saúde Agora oferece em Santa Maria outras especialidades importantes para a manutenção da saúde da mulher. Acompanhe mais dicas de saúde em nosso Instagram.


infarto-mulher-1200x800.jpg
09/out/2018

O índice de mulheres afetadas pelo infarto é maior que o de homens. O problema reside no fato de que, ainda que os sintomas sejam razoavelmente claros, não costumemos dar atenção a eles.

Temos que levar em conta: os sintomas de um enfarto em mulheres são muitas vezes diferentes das dos homens. Por isso que cada vez mais está aumentando o índice de mortalidade feminina em termos de ataques do coração. Em geral, eles costumam se camuflar com o cansaço, e com as dores que não sabemos reconhecer. Vale a pena se aprofundar um pouco mais no assunto para o nosso bem.

Sintomas de uma doença cardíaca em mulheres

Temos que deixar de lado essa clássica imagem de um homem segurando o braço ou tocando o peito antes de sofrer um ataque do coração, ou de sofrer uma angina. Novas pesquisas publicadas na revista de medicina “British Columbia”, dizem que o índice de afetados com um enfarto é de 19% nas mulheres, em comparação com 13,7% nos homens. Quer dizer, alguma coisa está acontecendo.

E essa alguma coisa, é que frequentemente as mulheres têm sintomas que não prestam muita atenção ou que não o levam a sério. Às vezes se preocupam mais pelos seus familiares ao seu redor, do que com elas mesmas. É preciso ter cuidado, por isso é essencial que conheçamos os seguintes alertas.
1. Pressão no peito

Às vezes, podemos sentir uma queimação no peito, uma pressão que nos produz cansaço. Pode ser que você o confunda com ansiedade, que fale a você mesma que está nervosa por causas das obrigações diárias. Mas se você sente que tem essa sensação todos os dias, procure um médico para que te faça um check up. Nos homens é habitual, por exemplo, que esta pressão comece no peito e depois passe para o braço na forma de um estranho formigamento, mas nas mulheres costuma iniciar de uma forma focal no peito, e corresponde em geral a uma angina.

2. Dor aguda na parte superior do corpo, no pescoço, nas costas e na mandíbula

Este sintoma pode se localizar como uma dor em ambos os braços, nas costas, nos ombros, no pescoço, na mandíbula ou na parte alta do estômago (não debaixo do umbigo). Complicado, não é? Por isso que este tipo de desconforto o associamos com frequência a dores de ossos, a osteoporoses, por exemplo, tão comum em nós mulheres. Quer dizer, não prestamos muita atenção porque pensamos que é o cansaço ou uma simples dor de ossos que diminuímos com um anti-inflamatório.

Mas não o menospreze, porque a dor nas costas, no pescoço ou na mandíbula é um sintoma de enfarto mais comum nas mulheres do que nos homens.

3. Cansaço anormal e falta de ar

Um dado que se tem que levar em conta é, que de costume os homens sintam já pequenos avisos quando estão fazendo atividade física. Estão trabalhando e de repente paralisa o braço, ou não podem respirar. Entretanto, quando descansam estes sintomas desaparecem. Mas nas mulheres é diferente, os enfartos nelas costumam acontecer quando, por exemplo, estão sentadas ou inclusive dormindo. Quer dizer, o enfarto em si pode chegar mais em repouso do que em atividade. Porém, existem sintomas que tem que estar atenta, não se esqueça, um cansaço extremo, fora do normal, e dores na parte alta do peito. Preste atenção principalmente quando sobe escadas, se perceber que te custa muito, que sente sensação de asfixia, acompanhado dessa clássica pressão no peito que já comentamos, não hesite, procure um médico imediatamente.

Outro aspecto que você deve lembrar: os homens, por exemplo, costumam sofrer desmaios que já nos avisam que existe um problema cardíaco. Nós, mulheres, no entanto, sofremos de pequenas vertigens que não tem porque chegar a perder o conhecimento. Por isso que seja comum não levá-lo a sério. É um descuido que não devemos esquecer, qualquer indício deve ser levado em conta.

4. Sentir o estômago embrulhado

Mal-estar e sensação de estômago pesado. O que comemos nos cai mal e sofremos de uma espécie de acidez frequente, que termina em vômitos. É muito fácil confundir estes sintomas com qualquer outra doença, com qualquer outro incômodo cotidiano como o refluxo gástrico. Mas não o menospreze, especialmente se este mal-estar estomacal vem sempre acompanhado por um suor frio muito característico. De repente você se sente cansada, com tremedeira, dor de estômago e com uma angustia muito aguda.

Para concluir apenas dizer que a maioria dos enfartos e anginas, costumam dar indícios, dicas e incômodos que já nos advertem. O maior problema nas mulheres é que costumam relacionar estes aspectos com outras coisas, com o cansaço cotidiano, com a dor nas costas que sofrem todos os dias, com os nervos ou estresse que aperta no estômago ou no peito… Se você percebe que este cansaço é mais exagerado todos os dias, se te custa respirar ou se sente angustiada, procure o seu médico para que te faça um exame. Não gaste todos seus esforços em cuidar dos outros, escute também a si mesma. Perceber a tempo os indícios do enfarto pode salvar vidas. Não se esqueça!


esportista-bebendo-agua-1200x800.jpg
09/out/2018

Você chega ao hospital ou consultório e o médico está lá de branco, por vezes cansado das horas trabalhadas, mas saudável. Cercado por pessoas espirrando, tossindo, com os mais diversos tipos de dores ou ferimentos, mas parece que nada o afeta. Por que isso acontece? Os médicos, além de terem estudado como o corpo humano funciona e formas de evitar – quando possível – que ele fique doente, também têm os seus truques. Confira:

Atentar para a higiene

Pode parecer óbvio, mas é verdade que os hábitos de higiene fazem toda a diferença para a manutenção da saúde. “O hábito de lavar as mãos assim que se chega no destino, antes de manipular alimentos, antes de se alimentar, depois de ir ao banheiro etc. é muito importante para a prevenção de doenças, principalmente as virais. Assim como cobrir o nariz e a boca quando se tosse para não propagar o vírus e lavar as mãos após isso. Tomar banho todos os dias, trocar de roupa, deixar o ambiente arejado, usar vestimentas, roupas de cama e de banho limpas. Na praia é bom tomar cuidado com as cadeiras, colocar uma toalha limpa sobre ela quando for sentar para evitar a transmissão de sarna. Lavar alimentos crus, tomar cuidado com o que comemos e bebemos também são cuidados essenciais”, diz , infectologista.

Beber bastante água

Cerca de 70% do corpo humano é composto por água, logo, ela é fundamental do ponto de vista fisiológico. “Todas as células do nosso organismo precisam de água. Ela não tem energia, não produz calorias, mas é essencial para o funcionamento do corpo. E quando digo que é importante beber água quero dizer exatamente isso, e não líquidos no geral. Suco é fruta no estado líquido, isso não é água”, diz especialista em nutrologia e medicina do esporte.

Se alimentar adequadamente

“Para a população saudável em geral, não existe o alimento mágico nem o ruim. Nós podemos comer de tudo e não existe algo que em termos absolutos faça mal ao nosso organismo. O que pode fazer mal ao longo do tempo é a manutenção de hábitos não saudáveis, como comer todos os dias como se fosse uma data comemorativa”, diz o nutrólogo. A dica do especialista é deixar o prato colorido, não exagerar nos alimentos de origem animal, adicionar bastante fibras e vegetais, ingerir de tudo um pouco, mas comer devagar.

E o zinco e os suplementos?

“Suplementos só são indicados quando a pessoa tem uma necessidade superior ao que é normal, como quando há alguma doença, deficiência de algum nutriente ou está gastando muito, como no caso dos atletas. Para um adulto saudável não há esta necessidade”, diz o nutrólogo. Quando se come de maneira equilibrada e cuida da saúde, no geral, eles não são necessários e devem sempre ser recomendados por um profissional de saúde. “Já o zinco é um micronutriente, o que significa que o nosso organismo precisa em pequenas quantidades, mas é absolutamente importante para, entre muitas outras funções, fortalecer o sistema imune, melhorar a percepção de olfato, diminuir a queda de cabelo e otimizar a cicatrização”, diz o especialista. São vários os alimentos ricos em zinco, muitos de origem animal, como as ostras, camarão, boi, frango, mas também as oleaginosas como amêndoa e amendoim.

Dormir bem e tirar alguns cochilos

Dormir profundamente, descansar mesmo, é muito importante tanto para a parte física, o corpo em si, quanto para a mente. “Quando temos uma noite de sono ruim, não atingimos a fase do sono REM, que é o período do sono restaurador, acordamos cansados, fadigados, indispostos e de mau humor”, diz , clínico geral. Cochilos também podem ajudar a melhorar a disposição, mas atenção, “assim como a quantidade de sono que alguém precisa para ficar bem é variável, a soneca pode deixar algumas pessoas mais atentas, dispostas, rendendo mais em suas atividades e outras acabam ficando mais sonolentas, rendendo menos, depende da pessoa”, completa.

Cuide das dores de cabeça

Existem diversos tipos e causas de dor de cabeça, muitas delas podem indicar problemas graves de saúde. Então, no caso de dores de cabeça que estejam se tornando frequentes ou fortes demais, é importante procurar um médico. Uma automassagem na lateral da cabeça (têmpora), feita de forma suave, “pode ajudar algumas pessoas com dores de cabeça não relacionadas a nenhuma doença, assim como tirar um cochilo em um ambiente tranquilo e calmo e, se está em jejum, se alimentar. Medicamentos sintomáticos podem ajudar quando essas tentativas já foram feitas e não tiveram sucesso, mas lembrando que apenas quando se tem certeza que o sintoma não está relacionado a nenhuma doença”, diz o clínico.

Ter tempo para você mesmo

‘Eu não tenho tempo’ está se tornando uma frase cada vez mais normal, o que não é nada bom para a sua saúde. O nutrólogo ressalta que neste tempo se inclui aquilo que precisa para poder cuidar da própria saúde. Fazer exercícios físicos, ir às consultas médicas de rotina, realizar os exames que o médico pedir, escolher o que e quando comer, tomar vacinas, meditar e muitas outras atividades fazem diferença para o seu bem-estar físico e mental. “Ter tempo para nós mesmos, para cuidarmos de nós mesmos em tudo, é muito importante. A gente encontra tempo para trabalhar, então tem que encontrar tempo para se cuidar também”, orienta.

Não se automedicar

Mesmo os médicos consultam especialistas para verificar os seus problemas de saúde, o que é extremamente importante para manter a saúde como um todo. Eles são os responsáveis por analisar o quadro do paciente, seu histórico clínico, outras medicações que faz uso e mais informações que são muito valiosas na escolha de um medicamento. “A automedicação é prejudicial à saúde pois os medicamentos podem apresentar efeitos colaterais e reações adversas, além de poder desencadear outros sintomas”, diz especialista. Além disso, a automedicação pode mascarar sintomas importantes para a detecção de doenças, fazendo com que elas só sejam diagnosticadas quando o problema está mais avançado.

Ter momentos de lazer

Todos os especialistas concordam que tão importante quando as demais dicas é que a pessoa tenha momentos de lazer para permanecer bem e saudável. Trabalhar com o que gosta é muito bom, fazer exercícios também, dormir é maravilhoso, mas ter uma atividade que gosta, que seja feita exclusivamente por prazer, lazer, é fundamental. Pode ser aproveitar de momentos agradáveis com a família, amigos, relaxar, ler, dançar, correr, conversar, pintar… a atividade você escolhe, mas como o nosso corpo trabalha por recompensas, vale investir nos seus momentos de lazer.


outubro-rosa-1200x800.jpg
09/out/2018

Todos os anos, milhares de novos casos de câncer de mama são descobertos no Brasil. A estimativa para 2016 era de 57.960 novos casos da doença no país, sendo que 99% dos casos acometem as mulheres. Os números assustam e a realidade é árdua, mas ainda assim há razões para ser otimista.

As chances de cura para os casos descobertos precocemente são em média de 88.3% e aproximadamente 30% dos casos podem ser evitados com hábitos saudáveis. Uma alimentação balanceada e a prática de atividades físicas regulares são fatores determinantes para se proteger contra qualquer tipo de câncer. O excesso de gordura abdominal também é outro fator de risco que aumenta em 74% o risco de desenvolver a doença.

Felizmente, a cada ano que passa aumentam as ações que visam a conscientização desse tipo de câncer. Nos Estados Unidos, a campanha Outubro Rosa existe desde 1990 e no Brasil as ações começaram a ser praticadas em 2002. Essas iniciativas são importantes para alertar sobre os perigos, incentivar o autoexame e aproximar pessoas que já tiveram o problema, criando comunidades e laços com instituições que fomentam pesquisas e arrecadam doações.

Vale lembrar mais uma vez que quanto mais cedo a doença for detectada, maiores são as chances de cura. Saber realizar o autoexame e estar ciente de quais ações podem diminuir os riscos de desenvolver esse tipo de câncer são práticas fundamentais. E é exatamente por isso que a conscientização e a educação são tão importantes.


Copyright Clinica Saúde Agora 2018/2020. Todos os direitos reservados

WhatsApp chat